E Agora O Que É Que Eu Faço?

Foi exactamente o que pensei no dia em que soube que tinha passado no casting, ao qual fui super descontraída como já contei aqui no Faz Sentido à Ana Rita Clara. Depois percebi que só tinha de fazer o meu trabalho, como sempre o fiz e sem abdicar dos meus saltos altos, só que à velocidade da luz. 

Nada que uma pessoa não aguente! E a verdade é que adorei cada segundo, cada candidato e cada membro da equipa.

Foi uma experiência única! Sobrevivi ao acordar a horas impróprias, às noites de ansiedade e mal dormidas que me deixaram 3 anos mais velha, mas repetia tudo de novo… até algumas frases ao lado e com palavras como “divertido” em vez de “relaxante”, wi-fi em vez de bluetooth,  entre outras que um dia me vão proporcionar um vídeo de ir às lágrimas! 

O programa já dispensa apresentações, e contínua a ser um sucesso na repetição que está a ser feita aos sábados à noite na Sic Mulher, mas ainda não tinha tido oportunidade de vos contar “pessoalmente” esta experiência.

Ao longo dos próximos dias, após a repetição de cada um dos programas em que participei, vou abrir um pouco mais as portas de casa de cada candidato e explicar cada projecto detalhadamente.

Não esperem vir a descobrir cenas escabrosas e de pancadaria porque não as houve, pelo contrário, fui surpreendida por uma equipa fabulosa que me ajudou em tudo o que pôde e mais não o fez porque a designer era eu, e já que me convidaram a participar neste projecto convinha fazer alguma coisa! 

Para não dizerem que não disse nada de novo, respondo à pergunta que todos me fazem:
Como é trabalhar com a Barbara Guimarães? Apesar de se apresentar sempre de ténis não havia como, tive de olhar mesmo para cima cada vez que falávamos. Tirando este pormenor…e o facto de me ter ganho nos matraquilhos e nas corridas na máquina do Filipe, foi sempre muito fácil. Porque é sempre fácil trabalhar com pessoas com sentido de humor apurado e disponíveis para ajudar! 

Creditos Fotográficos: Tiago Caramujo

 

Spread the word. Share this post!